Conceito errado sobre Islão no mundo ocidental e as nossas responsabilidades

alislam
Por alislam Junho 10, 2015 20:00

Conceito errado sobre Islão no mundo ocidental e as nossas responsabilidades

O CONCEITO ERRADO SOBRE ISLÃO NO MUNDO OCIDENTAL

E AS RESPONSABILIDADES DE UM MUÇULMANO

Por Sra. Amatul Wadood Bushra

Hoje em dia, ouvimos as pessoas falar mal do Islão e dos Muçulmanos. Chamam-nos com os nomes estranhos como Jihadistas, bombistas e terroristas. Ainda, dizem que o Islão espalhou-se com a força das armas e julgam que os Muçulmanos podem fazer qualquer mal a elas. Isso dá muita dor e agonia a um verdadeiro Muçulmano porque a realidade não é assim. É verdade que há pessoas entre os Muçulmanos que matam outras pessoas em nome do Islão e difamam o Islão com as suas más práticas. Isso é muito lamentável, mas, essas pessoas são fora de humanidade. Um verdadeiro Muçulmano acredita que a religião de humanidade é acima de todas as religiões, e, o Islão é uma religião de natureza humana e ensina respeitar outros, como lemos no Sagrado Al-Corão que matar uma pessoa inocente, é mesmo como matar toda a humanidade. A verdade é que essas pessoas não sabem nada do Islão e dos seus ensinamentos.

Vou tentar explicar com uns exemplos:

O Islão é a religião de paz. A palavra Islão significa paz, obediência e submissão completa perante a vontade de Deus, e Deus nunca permite os seus servos prejudicar outros. Isto é óbvio do seguinte exemplo que quando um Muçulmano encontra-se com alguém, diz السلام علیکم و رحمۃ اللہ و برکاتہ que significa: “que paz, mercê e bençãos de Deus estejam consigo”. Isto quer dizer que essa pessoa dá uma mensagem de paz e dá garantia da sua parte que ela nunca intencionaria fazer mal contra outra pessoa. O mensageiro do Islão, o nosso amado Sagrado Profeta (saw) dando o significado de um verdadeiro Muçulmano diz que um verdadeiro Muçulmano é aquele da cuja língua e das cujas mãos, os outros estejam seguros (ou seja salvos). Isto quer dizer que prejudicar outros com a língua é tão mau como com as mãos e o Islão absolutamente proibe essa atitude.

Além disso, o Islão é uma religião completa e os seus ensinamentos são tão belos que são fáceis de praticar para todos. O Islão estende a mão de paz e reconciliação para toda a humanidade e dá um convite universal a todas as religiões para combinar e juntar num ponto que é “estabelecer a Unicidade de Deus – o Único e não associar qualquer outro ser com Ele para adoração”. Quão bela é esta mensagem que manifesta grandeza dessa nossa religião que é o Islão.

Mais, o Islão ensina-nos a não insultarmos os deuses falsos dos idólatras, pois, em reação, por ignorância, eles podem insultar o nosso verdadeiro Deus.

E, como era a prática do Sagrado Profeta (saw):

Sim, ele era o melhor exemplo para os seus seguidores como diz o Sagrado Al-Corão, e, ainda lemos em outro lugar que Deus enviou-o como um mercê para todos os mundos. Ele era um governador compassivo e justo e respeitava todos quer Muçulmanos quer seguidores das outras fés. Uma vez quando ele era em Madina, havia um conflito entre um Muçulmano e um Judeu sobre qualquer assunto, o Sagrado Profeta (saw) deu a sua decisão de acordo com a lei Judaica e desempenhou o papel de um excelente juíz. Numa outra ocasião, o Sagrado Profeta (saw) permitiu os delegados Cristãos a fazer a sua oração na sua própria maneira na mesquita. Também, ele era muito bondoso para com os animais. Uma vez, ele foi a casa de um dos seus companheiros e viu um gato que estava atado e estava a gritar com fome. O mensageiro de Deus, ao ver isso, ficou muito zangado e disse ao dono do gato para o desatar para que pudesse ir buscar os seus alimentos. Então, uma pessoa tão carinhosa e compassiva com os outros seres vivos bem como os seres humanos, como pode ensinar aos seus seguidores lutar, matar as pessoas e criar desordem na terra.

Quanto à objecção que o Islão foi espalhado com a força das armas, o Sagrado Al-Corão declara abertamente que “ não deverá qualquer compulsão na religião”. O que significa isso? Isso significa que os ensinamentos do Islão são tão claros e tão fáceis de praticar que não há nenhuma necessidade de obrigar ninguém para abraçar o Islão. Qualquer pessoa justa e com natureza pura e piedosa, gosta de estudar e aprofundar os ensinamentos Islâmicos, e, ao ser convencida, aceita o Islão.

No que diz respeito ao Jihad, o Sagrado Profeta nunca fez Jihad ou nunca lutou com a sua própria vontade. No início da sua reclamação de ser profeta, o povo de Mecca tornou-se contra ele quer familiares quer outros (exceto um pequeno número dos crentes), mas, ele continuou a divulgar a mensagem de Deus com calma e com perseverança. Durante o dia ele pregava e durante a noite ele suplicava perante Deus para que o povo aceitasse a Unicidade de Deus. Ele passava tanto tempo na adoração que os seus pés ficavam inchados, mas continuava suplicar a guia para o seu povo. O povo não parou de insultar e torturar o Sagrado Profeta (saw) e os seus seguidores mas eles aguentaram e toleraram todos os sofrimentos provocados por eles, até que Deus permitiu-os a fazer Jihad contra os descrentes. Mas esse Jihad não foi para matar as pessoas nem obrigá-las a entrar na sua religião nem para horrorizá-las mas foi só para defender os seus próprios seres e a sua fé dos opressores. O Sagrado Profeta tomou parte nas batalhas contra os descrentes, no entanto, nunca levantou a sua espada para matar ninguém. Sempre que havia qualquer batalha, o Sagrado Profeta exortava o seu exército para terem em mente que:

Não devem matar crianças e mulheres, nem os idosos, nem os passageiros, nem as pessoas religiosas inocentes que estejam ocupadas na adoração. Não  devem atacar e estragar os lugares de adoração como igrejas, sinagogas entre outros e não devem matar qualquer pessoa que não seja parte da guerra.

Portanto, qualquer pessoa rasoável pode ver e refletir que os supostos Jihadistas pertencente ao estado Islâmico ou a qualquer outro grupo que estão involvidos em qualquer atividade desumana e criam um ambiente de medo e temor matando crianças, mulheres e pessoas inocentes não têm nenhuma relação com o Sagrado Profeta, o Islão e os ensinamentos Islâmicos.

A nossa responsabilidade como um verdadeiro Muçulmano é que espalhemos os ensinamentos Islâmicos nas nossas áreas de atividade onde quer que estejamos. Temos que propagar a mensagem do Islão na sua forma original e isso deverá ser a nossa responsabilidade no primeiro lugar nomeadamente de juventude, que tem mais oportunidades de se encontrar com as pessoas na escola e noutros lugares de encontro. Mas com tudo isso, temos de praticar os ensinamentos Islâmicos nós próprios e isso deve ser manifestado do nosso vestuário, das nossas ações e da nossa atitude. E acima de tudo, temos que invocar as bençãos sobre o Sagrado profeta o máximo possível como o nosso Califa está a nos exortar repetidamente.

Que Deus nos ajude o fazer. Amin.

alislam
Por alislam Junho 10, 2015 20:00

Sermão de Sexta-Feira do Califa

Vertical Navigation
Vertical Navigation