O Messias Prometido e os seus serviços para a religião

alislam
Por alislam Junho 7, 2015 08:49

O MESSIAS PROMETIDO E OS SEUS SERVIÇOS PARA A RELIGIÃO

Há 150 anos, o Islão encontrava-se debilitado pelos ataques que sofria. Os poetas daquela época descreveram essa fase complicada na seguinte forma:

A religião que surgiu da sua terra com muita dignidade, hoje está numa condição fraca no estrangeiro. A religião através da qual se iluminaram os convívios mundanos, agora não há nenhuma iluminação nos convívios dela.

Quando a religião desapareceu e subiu até plêiade (i.é. a estrela mais longe de todas), Deus mandou aquele homem persa que para a reformação da religião devia devotar a sua vida e fazer com que o Islão regressasse do céu (ou seja das estrelas distantes).

 O Messias Prometidoas diz:

“Eu lembro-me de um incidente estranho, uma vez recebi uma revelação cuja significação era que os anjos estão em desputa (i.é.) o desejo de Deus está a subir para o renascimento da religião mas a nomeação daquela pessoa que reviverá a religião ainda não foi revelada para os anjos, por isso discordaram em relação a nomeação. Entretanto, vi no sonho que as pessoas estão a procura duma pessoa que possa reviver a fé e uma daquelas pessoas veio perante mim e disse apontando para mim ھذا رجل یحب رسول اللہ (i.é.) esta é a pessoa que ama o mensageiro de Allah. Essa declaração significa que o amor do profeta é a condição principal desse cargo e essa condição encontra-se nessa pessoa.”

                         (Braheen-E-Ahmadiyya, Vol.4, Ruhani Khazain Vol.1. Página 598- Nota de Rodapé 3)

Antes do seu advento, ele tinha a paixão maravilhosa de servir a religião que Deus criou no seu coração. Ele tinha só uma coisa na mente e isso era, como é que ele podia parar todas as flechas atiradas para essa religião com a sua mão e defender essa religião. E, sem dúvida, ele provou a ser o campeão desse campo, Hadrat Sheikh Yakoob Ali Irfani Sahibra escreve:

“Durante os dias em que ele estava em Sialkot, (como os leitores sabem que a sua vida era para apoiar e suportar o Islão), ele usava o seu tempo livre nessa causa. Mas depois de voltar de lá, ele não tinha nada para fazer exceto do que os empenhos tradicionais مجاھدات  مسنونہ  para alcançar a posição elevada de purificação de espírito e passar o seu tempo livre para apoiar Islão e para pregação da religião. Ele fazia discussões religiosas com Lala Mulawa Mal e Sharampat Ráe e isso continuou até que começou guerra de pena (guerra escrita) com Sawami Dianad Sahi, Bawa Narain Singh Sahib e Munshi Gordial Sahib etc. O objetivo dessa guerra religiosa era só receber amor de Deus e a palavra de Deus ser elevada.”

(Vida De Ahmad- Escrito Por Hadrat Yakub Ali Sahib Irfani Página 225)

Vendo a fraca condição em que nessa altura se encontrava o Islão, o seu entusiasmo aumentou mais e não o deixava descansar mesmo por um momento. Relata-se que:

“Por natureza o Messias Prometidoas era tão entusiasmado para a pregação do Islão que ele a si próprio dizia que as vezes tinha medo de que o seu cérebro rebentasse e ele usava os métodos que ele considerava apropriados e adequados para pregação e orientação do Islão.”

(Vida De Ahmad  – Escrito Por Hadrat Yakub Ali Sahib Irfani Página 182)

Ele tinha tanto entusiasmo para servir a religião que ele trabalhava toda a noite e ao mesmo tempo ele encorajava os seus companheiros e nunca estava farto desse trabalho. Hadrat Pir Sirajul Haq Numanira relata que:

“Um dia ele estava a escrever um poema que se chama Ejaz-e-Ahmadi e Sr. Ghulam Mohammad que era o escritor estava a fazer a cópia desse poema. Ele mandou chamar-me e disse que eu também fizesse uma cópia para que esse poema fosse publicado o mais cedo possível e disse que eu me sentasse perto dele e fizesse a cópia. Eu disse, está bem. Ele escrevia o poema e dava-me tão depressa que eu não acabava de escever matéria já dada quando ele dava-me mais. Eram 11:00 horas da noite, alguém trouxe a refeição para ele. Ele disse-me: Está a escrever desde tarde e acho que não jantou. Venha comigo e vamos comer juntos. Quanto a mim, estou tão perdido em mostrar as belezas dessa religião e em provar que o Sagrado Al-Corão é de Deus e em dar prova de profetização do Mohammad que não me apetece comer nem beber e nem me sinto com vontade de dormir. Eu como e durmo quando tenho muito fome e vencido de sono. Assim, eu e Hudur comemos numa mesa e quando acabamos de comer, Hudur disse: estes dias são de recompensa e de luta.”

(Tazkiratul Mahdi escrito por Pir Sirajul Haq Numani Sahib Páginas 16-17)

O Messias Prometidoas diz:

“Este tempo também é um tipo de Jihad (luta em causa de Allah). Eu fico acordado até 3:00 horas da noite. Por isso, cada um de nós deve tomar parte nisso e trabalhar incansávelmente.”

(Malfoozat Vol.2 Página 510)

Ele diz em outro lugar:

“Cada pessoa tem oportunidade de estar acordado a noite inteira mas afortunado é aquele que acorda por causa de Deus.”

(Malfoozat Vol.2 Página 691)

 Em outro lugar ele diz sobre si próprio:

“Embora os meus orgãos estejam cansados mas o meu coração não se cansa, em vez disso quer continuar a trabalhar.”

(Malfoozat Vol.2 página 691)

O círculo da sua pregação não era limitada nas proximidades dele, ele também transmitiu essa mensagem às áreas distantes e a fim de levar as pessoas para o verdadeiro Deus ele estava pronto para sacrificar tudo o que ele tinha. No seu primeiro livro ‘Braheen-e-Ahmadiyya’, ele desafiou todos os inimigos da religião (Islão) para trazer a qualidade das suas religiões e contestar com o Islão e anunciou dar toda a sua propriedade a quem trouxesse uma quinta parte dos seus argumentos que ele apresentou. Assim, ele fez justiça à transmissão da mensagem para as pessoas das áreas distantes. Portanto, New York Time, o jornal famoso dos Estados Unidos da América publicou essa notícia estranha no dia 3 de Dezembro de 1899. A tradução desse texto é como se segue:

RESTAURA FÉ COM A SUA VIDA

Uma pessoa de Índia Oriental que quer provar grandiosidade de Mohammadsaw.

Londres, 2 de Dezembro. Uma curiosa proposta foi feita ao Lord Curzon de Kedleston, vice-rei de Índia por Mirza Ghulam Ahmad: muito conhecido de Qadian. Ele quer que o Governo Britânico convoque uma conferência publica de todas as religiões e convide-lhes a contestar sob dois critérios, e devem dar provas de sublimidade de ensinamento moral das suas religiões e no próximo ano, devem mostrar qualquer externo sinal Divino em suporte das suas religiões ou devem mostrar tal milagre que seja fora do alcance do ser humano. E se ele falhar a provar que Mohammad era melhor de todos outros, Ahmad oferece a submeter-se para ser morto.

No fim do discurso, venham juntar-nos na suplicação do Messias Prometidoas em que ele solicita:

  • Sem a graça de Deus, o navio do Islão está a afundar rapidamente, ó minha obsessão, faça algo, pois, a razão não está a funcionar.
  • Ó meu Senhor! Concede-me um fervor ardente e uma paixão extraordinária que me faça labutar apaixonadamente e servir a fé.
  • Faz com que o fogo de amor para o povo arda o meu coração cujas chamas cheguem até ao céu.
  • Ó meu Deus, que cada parte da nossa alma seja sacrificada para Ti, estou muito triste, faz-me ver o rejuvenescimento da fé.

Tradução em Português Por: Sra. Samra Ahmad Majoka

alislam
Por alislam Junho 7, 2015 08:49
Write a comment

No Comments

No Comments Yet!

Let me tell You a sad story ! There are no comments yet, but You can be first one to comment this article.

Write a comment
View comments

Write a comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

Sermão de Sexta-Feira do Califa

Vertical Navigation
Vertical Navigation